Arquivo por categoria: Poemas e poesias

O HOMEM E O MAR

Diferentemente do homem,
o mar não se afoga.

Diferentemente do homem,
o mar não tem preconceito,
abraço todos.

Diferentemente do homem,
as ondas louvam sem parar,
num ritmo contagiante,
sem doutrinas.

Diferentemente do homem,
o mar não tem limites,
manipulações.

Porém, parecido com o homem,
o mar é traiçoeiro,
te puxa,
te engole,
e te derruba.

Marcelo Andrade trabalha na produtoramc e é autor do livro O Evangelho das Ruas, que você pode comprar visitando o site marceloescritor.com.br 

Mostre a sua arte gratuitamente! Clique aqui e participe!

 

 

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/o-homem-e-o-mar/

A luz e as trevas

Eu sou a luz,
Que ilumina,
Que nos eleva,
A luz que acrescenta,
Que nos inspira,
A ser melhor,
A luz que conduz,
Que indica o caminho,
Do evoluir,
De se mostrar melhor,
A luz que nos unifica,
A darmos o melhor de nós,
Nós e a luz a nós elevamos,
A nós posicionarmos,
Que temos de ajudar,
A nos compadecer,
A criar laços de amor,
Intercalando-nos,
Do finito ao infinito,
Com o bem maior,
Eu sou a luz,
A que enternece,
Sou eu sou,
A luz,
Sublime que faz de vós,
De todos vós,
Caminhante do bem,
Ajudando,
Se elevando,
Nos caminhos,
Nas moradas do Senhor,
Eu sou a luz,
E eu as trevas,
A percorrer,
Caminhos árduos,
Sem brilho,
Do universo,
Sem sol, as estrelas e o luar,
Eu sou as trevas,
Eu sou a tristeza,
O não perdoar,
O andar de mãos dadas,
Com os crimes,
Com o sórdido,
Com as drogas,
O mal proceder,
Eu sou as trevas,
A adormecer os sentidos,
Nos gritos, nos apelos,
Nas lamurias,
No esquecimento,
De mim mesmo,
Eu sou implacável,
Eu sou feroz,
Eu reduzo,
Eu não me apiedo,
Eu reclamo,
Eu inflamo,
As guerras,
A destruição das matas,
E dos animais,
Proclamo aos ventos,
E no tempo,
Um lamento de cada dia,
Fazer-lhe pior,
Sim assim sou eu,
Mil vezes maldita,
Empedernida no ódio,
No ódio,
Ah! O ódio,
Meu ódio,
Eu sou as vozes,
Ódio,
Não compaixão,
Ilusão dos sentidos,
Luxuria soberba,
Preconceitos,
Eu sou a não razão,
Eu!!!?
E eu lhe estendo a mão,
Venha a mim, venha a mim,
Vós que sofreis,
Venha a mim,
E eu libertarei,
Das trevas,
Eu o consolarei,
Venha a mim,
Óh! Não sei o que dizer?
Emudeci-me,
E me curvei,
E me curvo,
Diante da luz,
Luz amiga,
Luz querida,
Eu as trevas,
Me curvo,
Diante de ti,
E lhe peço,
Humildemente,
Acalente-me,
Faça-me ter luz,
Luz,
Eu as trevas me rendo,
E em nome do Pai,
Eterno lhe,
Peço,
Encaminhe-me,
Ate você,
Luz divina,
Divina luz,

Matias
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/a-luz-e-as-trevas/

De elementos

Em elementos,
Fui me transformando,
E me transportando,
Através do tempo,
Fui me despedindo,
De magoas,
De faltas cometidas,
Que sempre praticamos,
Conosco e com os demais,
Mas fui aprendendo,
Que teria de mudar,
E mudei,
Através do tempo,
Hoje caminho,
A ajudar,
A iluminar,
E creio que todos,
Passam de,
Elementos a,
Perfeição,
Até tornamos,
A perfeição,
Longos caminhos,
Percorremos,
Mas importante,
Não são os caminhos,
Nem os elementos,
E sim é o que,
Fazemos dos elementos,
Em nossos caminhos,
Hoje do pretérito imperfeito,
De meu ser,
Me completo com o,
Pretérito perfeito,
Pois hoje me aperfeiçoei,
No bom proceder,
Na indulgência do meu ser,
Hoje eu digo,
Que sou um amigo,
E não mais questiono,
Ter-me-ei de mudar ou não,
Pois hoje tenho certeza,
Que mudei,
Mudei e sempre,
Estarei pronto,
Para mudar e mudar,
Até ficar translucido,
De amor e paz,
Sendo uma alma perfeita,
Um ser no,
Pretérito perfeito,
A caminho do,
Núcleo maior,
O núcleo do amor,
Da paz.

Borges Ferreira Borges.
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/de-elementos/

Do verbo amar

Conjuguei ele até o fim,
E tanto o entendi,
Que fiz o fim,
Do ódio dentro de mim,
Do perdão que,
Conjugo com emoção,
Veio-me a compaixão,
Pelos demais,
Irmãos meus,
Que caíram em perdição,
E de conjugação em,
Conjugação,
Em elemento fui,
Saindo de mim,
O de perder tempo,
Com a ausência,
De construir,
De se elevar as alturas,
E o amor adentrou,
Dentro de mim,
Hoje sou uma alma,
Que me eleva,
Praticando,
A caridade,
A cumplicidade,
Com um elemento,
Maior,
A amizade,
Ah! A amizade,
Como é poderosa,
Nosso aliado,
Um amigo,
Sempre um amigo,
A ajudar-nos,
E nós a ele,
Um amigo eterno,
É o que sempre,
Serei de todos vós.

Borges Ferreira Borges.
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/do-verbo-amar/

Silêncio

O silencio da minha alma,
Ah! A minha alma,
E o seu silencio,
Um silencio de dor,
Dor do meu silencio,
Dor carregada,
De ressentimento,
E o silencio,
Um silencio,
Gritante,
Um silencio,
Que me atordoa,
Que me faz infeliz,
E ela diz quem és você,
Para querer voar do ninho,
Longe de mim,
Quem tu pensas que és?
Tu não és nada,
E o silencio,
A me consumir,
A me dizer,
Tu és uma incapaz,
Incapaz,
Silencio,
Imperfeição,
Dos sentidos,
Na dor,
E eu me desfaço em lagrimas,
Lagrimas da minha alma,
Alma,
Em silencio,
Em devaneio,
Mas eu posso,
Eu sei que posso,
Mas porque fico presa,
No silencio,
E ela me diz,
Tu és nada,
E um nada,
Será sempre assim,
Um nada,
Tu és,
O silencio,
O lamento,
A revolta,
Sim uma revolta,
Por quê?
Ela age assim,
Não sei,
Nada mais sei,
Serei mesmo o nada,
Ou foi ela,
Que me determinou,
Eu ser um nada,
Nada mais sei,
Se sou o silencio,
Do nada,
Ou o nada do silencio,
Nada mais sei,
Só sei que,
Sou a reserva,
Sou a desesperança,
Eu sou o casulo,
E a borboleta,
Ali querendo voar e voar,
Mas ……
Eu me calo,
E fico ali no canto,
De um quadrado,
Do quadrado,
De minha alma,
E as palavras dela a repercutir,
No fundo de minha alma,
Do nada que sou,
Ou,
O nada que ela me fez,
Deixar e quis,
Que fosse assim,
Só sei é que,
Eu não sei,
E o silencio,
O amortecimento,
Dos sentidos,
Será que me libertarei um dia?
Será que terei um dia,
Coragem de gritar,
-Não eu não sou um nada,
Eu sou um tudo,
O nada foi você,
A culpada,
O tudo o meu pai,
Pai que me criou,
Disse-me,
-Tu és o tudo,
Tu és a minha amada,
Quebre o silencio,
O casulo,
Quebre o silencio,
Grite ao mundo,
Eu sou capaz,
Pois tu filha minha,
Tu és o amor, a paz,
O silencio,
O nada,
Se vai se desfazer,
Quebre filha,
Quebre o silencio,
Alce voos,
Alce,
E no voar,
Tu iras se libertar,
Do silencio,
Do quadrado,
Você filha amada,
Pois tu és a ressurreição,
Tu és a criação minha,
Tu és a minha filha,
E eu fico sem saber,
Se eu quebro o silencio,
Da minha alma,
Num voo junto,
Ao meu Pai eterno,
Junto a ele,
Sempre junto com ele,
E o silencio,
O nada,
Já não dizem,
Mais nada,
Nem a mim,
Nem a nós,
Que esperamos,
A sua volta,
Sem o silencio,
Sem a dor do nada,
A lhe escravizar os sentidos,
Sentidos perdidos,
Sentidos esquecidos,
No silencio,
Do ser e,
Não querer,
Saber ser.

A todos o meu muito obrigado, meus guias, orientadores e mentores,
Minha eterna gratidão,

Junção (Mulher) e Jardim das Oliveiras.
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/silencio/

QUEM ÉS TU?

Quem és tu?
De fato,
De fato quem és tu,
Tu és a chama verde da esperança,
Ou tu és a lamuria,
Por falta dela,
Tu és a sensação,
Do amadurecimento,
Da alma que já sabe,
Decernir,
A que caminho escolher,
Ou tu ficas perdido,
Nos atalhos,
Nos pedregulhos,
A ferir com os pés,
E você ali vendo,
O sangue escorrer,
De seus ferimentos,
E ali fica parado,
Estagnado,
E a dor a lhe afligir,
E você ali,
Perplexo,
Diante do sangue que jorra,
De ti,
De ti,
Para ti,
O que fazes para ti?
Pensas em evoluir,
Em caminhar,
Com as flores,
Com as minhas,
Escolhidas pelos seus,
Amores,
Mas quem és tu?
Que ao saber acrescentar,
Sim porque já sabe acrescentar,
Prefere ficar e olhar tudo,
Sem repercutir em você o tudo,
Do que vê,
Mas porque do medo,
Do se fazer,
Mas quem és tu?
De fato,
A cigana arrochada,
Destemida,
Que sabia que queria,
Ou tu és a menina,
Que tremia de medo,
Por que lhe impuseram o medo,
Quem sou eu de fato,
A cigana,
O medo da menina,
Ou serei todas elas,
E ao esperar pela libertação,
Eu fico,
Aqui assim,
Esperando pelo abstrato,
É porque eu sei que,
Só serei feliz de fato,
Quando me tornar um,
Ser abstrato,
E porque disto?
Pois eu lhes respondo,
Pois é no abstrato de ser,
Que eu serei feliz de fato,
Por quê?
Mas você sabe por que,
Porque me afastaram,
Você de mim,
E eu de você,
De fato.

Função (Mulher).
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/quem-es-tu/

FLORES NA VOLTA

Flores na volta,
Amores por direito,
Um caminho a percorrer,
E eu sem defeitos,
Flores a minha volta,
E eu perplexo,
A minha volta,
Parentes,
E eu ausente,
Dali ausente,
Mas as flores,
Os parentes à volta,
De que?
De mim?
De você?
Que parte,
Para o infinito,
E no adeus,
Profundo e triste,
Flores a nossa volta,
E voltamos ao infinito,
Às vezes desalinhados,
Horas apreensivos,
E ali embaixo,
Flores amores,
E choros,
Há nossa volta,
Choros e lamentos,
Que perturbam,
A nossa volta,
Nunca chorem,
Por nós os que voltam,
Não lastimem,
O partir,
Lastimem sim,
As nossas derrotas,
Com as nossas voltas,
Mas o nosso partir,
Entre flores,
Cores e lamentos,
Não lastimem,
Pois em nós,
Uma nova época,
Uma nova etapa,
Um novo recomeço,
E a volta,
Em nossa volta,
Flores sim,
Mas sem lamento,
Em volta.

Agenor Santos.
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/flores-na-volta/

FESTIVAL LITERÁRIO DE VOTUPORANGA

Com textos em ‘#PinosPoéticos’, rapper leva ‘Parada Poética’ para Fliv

Encontro é para popularizar a palavra falada e estimular o ‘vício’ da leitura.

Na próxima quinta-feira (7), o Festival Literário de Votuporanga (Fliv) recebe a ‘Parada Poética’, evento que busca espalhar e desmistificar a poesia de diferentes formas. Conduzido pelo rapper e professor Renan Inquérito, o encontro foge ao tradicionalismo, a palavra falada rompe o silêncio e não existe regra ou convite: a entrada é franca e as ideias também. Mas o diferencial não para por aí. O rapper distribui #PinosPoéticos para chamar a atenção para a própria arte e literatura. A ideia é estimular o ‘vício’ na leitura.

Autor do livro de poesias concretas #PoucasPalavras, Renan Inquérito utiliza cápsulas comumente usadas na bioquímica e também por traficantes para embalar drogas como a cocaína, para espalhar os próprios poemas por onde passa. “São fragmentos do livro que eu mesmo escrevi. É uma forma das pessoas poderem tocar e poesia, levarem pra casa, presentearem outras pessoas, enfim, é um jeito de romper a barreira entre os brasileiros e a poesia”, comentou.

paradapoetica

O uso da hashtag no título do livro e no projeto das cápsulas é também uma forma de aproximar os leitores mais jovens da própria arte. O projeto vislumbra não somente a formação de leitores e escritores, mas a conquista destes e o reconhecimento dos mesmos como pessoas-cidadãos, capazes de criar, declamar e disseminar a literatura.

Sobre a Parada Poética
A “Parada Poética” teve estreia há pouco mais de um ano e desde o início, as edições acontecem uma vez por mês divididas entre as cidades de Nova Odessa (SP), Americana (SP) e Campinas (SP). O evento aconteceu também no Sesc de São Carlos (SP), na 5ª Jornada Literária em Araçatuba (SP), no Flipoços em Poços de Caldas (MG), no Festival Literário de Ribeirão Preto (SP), em Bauru (SP), Marília (SP), entre outros locais, além de ter percorrido escolas e unidades da Fundação Casa.

A cada encontro é levado um convidado especial e pela Parada Poética já passaram o rapper cearense que mistura a arte com a embolada, RAPadura Xique Chico, o campeão mundial de poesia Emerson Alcalde e coletivos como Poetas do Tietê, Sobrenome Liberdade e Poetas Ambulantes.

Serviço
O quê: Parada Poética na Fliv
Quando: quinta-feira (7) das 10h às 16h
Informações: www.paradapoetica.com.br

Indicação da  Jéssica Balbino  de Poços de Caldas.

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/festival-literario-de-votuporanga/

A ARTE DE AMAR

Na arte de amar,
Eu me perdi,
Da de compartilhar,
Esqueci,
Da de doar,
Censurei,
E na de evoluir,
Esqueci,
Dei-me contas dos meus erros,
Quando perdi,
Sim quando comecei,
A perder a identidade de mim,
Minha identidade,
A minha alma,
De luz,
Começou a decair e decair,
Ai eu acordei do pesadelo,
Que se estabeleceu em mim,
E comecei a caminhar,
De onde parei,
De onde eu deveria,
Nunca ter me comportado assim,
E dai comecei,
O meu regresso,
A luz ao crescer,
E dai na arte de doar,
Eu me doei,
E me surpreendi,
Que eu sabia,
Amar de novo,
E esqueci o que me havia,
Acontecido,
E parti para me redimir,
Doei,
Elevei-me,
E construí dentro de mim,
Um altar em louvor,
Ao amor,
Ao doar,
A caridade,
De todos que precisam de mim.

Matias.
Mensageiros do Amor.
Médium responsável.
Nirvana Maria.

Nirvana Maria Amaral mora em Ribeirão Pires, é escritora e pintora espirita, psicógrafa desde 2005 com Ajuda dos Mensageiros do Amor. Autora do livro AH! SE EU PUDESSE FALAR.

Contato: nirvanaamaral@gmail.com ou www.facebook.com/nirvanamaria.amaral

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/a-arte-de-amar/

BATUQUE DO CORAÇÃO

Músico do Ceará lança documentário sobre o uso do hip-hop na educação

“Nosso sonho era ter acesso à arte na nossa época de escola e se essa arte fosse oriunda do hip-hop seria o ápice, hoje nós conseguimos inserir esse trabalho nas unidades educacionais, interferindo na dinâmica escolar de forma positiva e significativa”. É com esta frase que o músico cearense Felipe Rima anuncia o documentário “O sonho da educação”, gravado durante visitas em escolas.

Durante a palestra-show, o músico e sua equipe ‘Batuque do Coração’ contam as histórias e superações por meio de elementos audiovisuais, música e poesia. O público é convidado a uma viajem no tempo, conhecendo fatores importantes para a construção de uma referência de vitória, integrando-se à narrativa. A experiência de participar de um show do ‘Batuque’ aproxima histórias de vida, pessoas, olhares, conhecimentos, sentimentos e pulsações de progresso.

Com esse trabalho independente, Felipe Rima já inspirou mais de 50 mil pessoas por todo Brasil com seus pocket shows e palestras, colhendo as energias de quem sonha junto, o show permite ao grupo vislumbrar conquistas, vivenciar o encontro de culturas, conhecer diferentes formas de manifestação artística, estimular o debate e a colocação de opiniões em publico, além de instigar as pessoas a pensarem no cenário futuro de suas vidas. Nos últimos 6 meses foram mais de 13 mil pessoas impactadas e o batuque do coração que ir mais além, inspirando pessoas e seguindo sonhos.

O foco do ‘Batuque do Coração’ é trabalhar, principalmente, com adolescentes que estejam cursando a escola, vivendo um período importante de decisão sobre seus futuros. Já foram realizados pocket shows em diversas escolas espalhadas por mais de 100 municípios no Ceará. Gestores, coordenadores e professores também tem demandado a oportunidade de vivenciar o pocket show do Batuque e se inspirar com a poesia de Felipe Rima. Além disso, empresários, sucessores de empresas, e gerentes de negócios encontram uma oportunidade para ações motivacionais com suas equipes, promovendo a cultura do sonho coletivo e de amplos horizontes em suas companhias.

O trabalho que Felipe Rima desenvolve hoje vai além das fronteiras do Ceará e chega aos estados de São Paulo (SP), Brasília (DF), Pernambuco, Pará, Minas Gerais e Rio Grande do Norte já puderam receber essa proposta em momentos diversos, desde eventos literários, palestras coorporativas para empresas, escolas e universidades.

Indicação do www.esquinacultural.com 

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/batuque-do-coracao/

Posts mais antigos «