«

»

Imprimir Post

Título decidido, emoção garantida!

Há quem defenda a volta dos jogos em mata-mata ao Campeonato Brasileiro. Seu principal advogado é, sem dúvida nenhuma, a Rede Globo de Televisão, a empresa de mídia que injeta milhões de reais nas contas da CBF, que a bem da verdade, já estão bem cheias. E sempre nessa época do ano, o assunto volta às páginas de mídia esportiva, com a pergunta clássica: playoffs finais ou pontos corridos?

Eu me lembro dos campeonatos brasileiros decididos de maneira eliminatória. Não dá para negar que, a emoção esteve presente em quase todos eles. No último ano de sua realização, em 2002, o torneio nacional de futebol revelou um dos times mais sensacionais no futebol brasileiro. O Santos, de Diego e Robinho, formado por Émerson Leão, que bancou a juventude em seu elenco de jogadores, recusou contratações milionárias, e no final do ano, recebeu a premiação com a conquista do título brasileiro. Entretanto, dos oito finalistas daquela competição, o Santos foi o pior colocado na tabela. E no final da competição, terminou campeão brasileiro. A pergunta que fica é: o título foi justo?

Muricy, multi campeão, está apalavrado com o Flamengo

Muricy, multi campeão, está apalavrado com o Flamengo

Difícil resposta, mas no ano seguinte, a mesma equipe formada por Leão, chegou à final da Taça Libertadores. Perdeu para o Boca Júniors, e dois anos depois, em 2004, já sem Leão no comando, venceu novamente o Brasileirão, mas desta vez com o sistema de turno e returno com pontos corridos no seu segundo ano consecutivo de aplicação no futebol brasileiro. E será que a conquista de 2004, foi mais justa do que a de 2002? Resposta prá lá de complicada, mas os dois títulos estão na galeria santista.

Há um tempo, escrevi sobre o tema neste mesmo espaço. E o questionamento que a ponderação tinha em seu título não poderia ser outro: justiça ou emoção? Creio que a própria disputa no Brasileirão desse ano serve de argumentação para responder. Afinal de contas, o campeonato mesmo com o Corinthians mostrando superioridade em toda a competição, mostrou emoção às outras torcidas. Principalmente no que se refere aos clubes classificados à Libertadores, à Copa Sul-Americana, e também com relação à zona de rebaixamento. Com todas essas nuances, e também com emoção garantida, será que exista alguém que ainda defenda a volta do mata-mata ao Brasileirão?

Ivan Marconato é jornalista pela FMU-SP e pós graduado em Letras pela Unibam. Trabalhou em empresas de comunicação como a NET, na qual escrevia para o Jornal Em Foco. Foi finalista do Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo em 1999. Desde 2008 até os dias atuais escreve para a Revista Visão, publicação trimestral da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo. Contato: ilmrocha@yahoo.com.br

Faça um comentário no Facebook

Link permanente para este artigo: http://artenomovimento.com.br/blog/titulo-decidido/